🔵 Ir para a pré-aposentação depois de uma vida de trabalho árduo e penoso, construída com folgas quinzenais, direitos mínimos, assistência na saúde sem existência, manhãs, tardes e madrugadas sucessivas em jornadas de apoio, sensibilização, reação, humilhação e desespero… tudo isto sustentado em palavras ou frases soltas de apoio retórico, que apesar de legalmente reunirem o direito da merecida pré, terão de aguardar pelo rejuvenescimento policial, porém, com quem?
Uma vida profissional assente em promessas nunca concretizadas, visão apenas numerária, entre um sem número de considerações possíveis e perturbantes que causam uma angústia desmedida aos que se revêm na PSP com uma dimensão a que os políticos são alheios.
▶️ Será com semântica e variáveis matemáticas impossíveis que se continuarão a enganar os portugueses?
Recordo-me dos tempos em que a majoração das notas acontecia pelo grau dificuldade dos exames. Era a única forma de garantir a estabilidade da robustez do ensino. Era, no entanto, a exceção; pode vir a ter que acontecer, todavia não posso e não vou acreditar nessa eventualidade nos acessos profissionais à PSP, até porque, segundo sei, as provas culturais são claras, objetivas, e acessíveis ao homem médio, nada para um contexto de “super-homem” em matéria de conhecimentos. Atendendo ao resultado conhecido conjugado com as palavras do ministro da Administração Interna, nada bate certo aos olhos dos polícias…
A 𝐀𝐒𝐏𝐏/𝐏𝐒𝐏 vem assim condenar o registo nas afirmações do senhor MAI que nada mais promove que a falta de fé e diminuição da atratividade. Reiteramos serem essenciais políticas de segurança e dignificação policial e não momentos de “caridadezinha” como se tal fosse aceitável pelas comunidades que servimos.
▶️ Quererá o povo português ser policiado por cidadãos seniores?
▶️ Aceitará o povo português que lhe vendam um Portugal seguro, quando diariamente verificam que não é assim?
▶️ Quererá o povo português continuar a ser enganado, com discursos vazios e promessas sem alcance?
▶️ Aceitará o povo português viver num país que cada vez se parece mais com uma qualquer realidade da América latina?
“É 𝒑𝒐𝒔𝒔í𝒗𝒆𝒍 𝒆𝒏𝒈𝒂𝒏𝒂𝒓 𝒂𝒍𝒈𝒖𝒎𝒂𝒔 𝒑𝒆𝒔𝒔𝒐𝒂𝒔 𝒕𝒐𝒅𝒐 𝒐 𝒕𝒆𝒎𝒑𝒐; é 𝒕𝒂𝒎𝒃é𝒎 𝒑𝒐𝒔𝒔í𝒗𝒆𝒍 𝒆𝒏𝒈𝒂𝒏𝒂𝒓 𝒕𝒐𝒅𝒂𝒔 𝒂𝒔 𝒑𝒆𝒔𝒔𝒐𝒂𝒔 𝒑𝒐𝒓 𝒂𝒍𝒈𝒖𝒎 𝒕𝒆𝒎𝒑𝒐; 𝒐 𝒒𝒖𝒆 𝒏ã𝒐 é 𝒑𝒐𝒔𝒔í𝒗𝒆𝒍 é 𝒆𝒏𝒈𝒂𝒏𝒂𝒓 𝒕𝒐𝒅𝒂𝒔 𝒂𝒔 𝒑𝒆𝒔𝒔𝒐𝒂𝒔 𝒕𝒐𝒅𝒐 𝒐 𝒕𝒆𝒎𝒑𝒐.” (Abraham Lincoln)
Nuno Ponciano, vice-presidente da 𝐀𝐒𝐏𝐏/𝐏𝐒𝐏