𝐒𝐞𝐢𝐬 𝐚𝐠𝐫𝐞𝐬𝐬õ𝐞𝐬 𝐩𝐨𝐫 𝐝𝐢𝐚 𝐚 𝐩𝐨𝐥í𝐜𝐢𝐚𝐬 𝐝𝐞𝐬𝐝𝐞 𝐨 𝐢𝐧í𝐜𝐢𝐨 𝐝𝐨 𝐚𝐧𝐨
🟠 Os dirigentes dos dois principais sindicatos daquelas forças – Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) e Associação dos Profissionais da Guarda (APG) – acreditam que a violência vai aumentar, porque a sociedade está mais agressiva.
▶️ O presidente da ASPP/PSP, Paulo Santos, considera que “os agentes se retraem, pois sabem que estão a ser filmados e que a sua atuação nem sempre é bem interpretada. Tanto são criticados se a força aplicada parecer excessiva, como se for tida como frouxa”.
“Há pessoas que, sentindo-se impunes, acusam os guardas do uso excessivo da força, quando o que se passa é o contrário”, defende o dirigente da APG, César Nogueira.
▶️ As imagens que circulam nas redes sociais (tanto de casos em que policiais são agredidos ou casos em que as autoridades surgem como alegados agressores) acabam por “condicionar a atuação dos agentes no exercício da autoridade”, referem.
A taxa de suicídio nas polícias é de 16,3 por cada cem mil habitantes, contra os 9,7 da população em geral. Miguel Rodrigues, polícia e autor de um estudo sobre este fenómeno, revelou, em declarações ao Expresso, que uma das causas para esta taxa seja quase o dobro nos polícias é “o acesso fácil às armas. Mas principalmente o impacto negativo de uma profissão em que se tem de lidar diariamente com violência. A PSP não dota os profissionais de meios para combater os efeitos negativos dessa exposição”.»
Expresso. 01.09.2022.

A realidade choca nos números.

⚫️ «É uma situação de desgaste rápido. É o lidar com a miséria humana e a miséria social. É o serem mal remunerados, é se for eles a baterem com o carro são eles que pagam. É saberem que estão numa esquadra que tem uma porta, que a população vê que está aberta para simular mas depois tem uma segunda porta que está fechada porque do lado de dentro só está um militar ou agente. A sociedade tem de saber disto e exigir responsabilidades”, afirma Mauro Paulino, psicólogo clínico e forense.»

▶️ Presidentes da ASPP/PSP e APG/GNR explicam o problema que já levou a vida a muitos militares e agentes.

Linhas de apoio emocional e de prevenção do suicídio:

Linha SNS24 (disponível 24h todos os dias) 808 24 24 24

Voz de apoio (21h-00h) 22 550 60 70

SOS Estudante (22h – 1h) 23 948 40 20/ 91 524 60 60/ 96 955 45 45

Telefone da Amizade (16h-23h) 22 832 35 35

Conversa Amiga (15h-22h) 808 237 237/ 210 027 159 SOS

Voz Amiga (15h30-00h30) 21 354 45 45/ 91 280 26 69/ 96 352 46 60

Ver na íntegra aqui:👇 https://sic.pt/…/suicidios-na-policia-numeros-em…/

Reportagem de Hernâni Carvalho e Luís Maia. SIC. 01.09.2022.

𝐀𝐮𝐦𝐞𝐧𝐭𝐨 𝐝𝐨 𝐧ú𝐦𝐞𝐫𝐨 𝐝𝐞 𝐚𝐠𝐫𝐞𝐬𝐬õ𝐞𝐬 𝐚 𝐚𝐠𝐞𝐧𝐭𝐞𝐬 𝐝𝐚 𝐏𝐒𝐏 𝐞 𝐠𝐮𝐚𝐫𝐝𝐚𝐬 𝐝𝐚 𝐆𝐍𝐑
🔴 Estão a aumentar as agressões a agentes da PSP e guardas da GNR mas, ao mesmo tempo, há cada vez menos agressores condenados em Tribunal.
🟠 A equação que hoje é revelada pelo “Jornal de Notícias” deixa preocupações às associações que representam a PSP e a GNR.
🎧 Para ouvir na TSF – Paulo Santos, presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia.

✔️ 𝐀𝐒𝐏𝐏: 𝐕𝐞𝐫𝐝𝐚𝐝𝐞 𝐨𝐮 𝐜𝐨𝐧𝐬𝐞𝐪𝐮ê𝐧𝐜𝐢𝐚?