CM 

Operação cabide

Este governo, quer à força, apagar a já pouca motivação existente.

Segundo as informações dos órgãos de comunicação social, não desmentidas pelo Governo, alguns setores do Estado, onde se enquadra a PSP, poderão continuar com a injustiça de verem as suas carreiras congeladas.

Esta situação foi uma injustiça criada para com todos os setores do Estado e, agora, o atual governo quer acrescentar discriminação à injustiça.

Até percebíamos se os polícias tivessem salários chorudos ou uma missão confortável, onde imperasse o respeito pelo seu horário de trabalho, pela sua saúde ou pela própria vida. O que não acontece.

Tal não é aceitável, num momento em que se exige cada vez mais aos polícias, que foram sujeitos às maiores atrocidades no que diz respeito à perda de direitos nos últimos anos.

Esperemos que os deputados na Assembleia da República tenham a iniciativa de apelar à consciência do Governo aquando da discussão do Orçamento do Estado para 2018. Porque parece que este governo quer, à força, apagar a já pouca motivação existente nos profissionais da polícia. Uma certeza podemos deixar, se este governo quer continuar a tratar os polícias como cabides, terá cabides. Esta será a resposta natural dos polícias.

 

 

 Paulo Rodrigues, Presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia