CM 

Tempo de união

Dia 28 emos de unir esforços pela salvaguarda dos direitos dos polícias

Há pouco mais de um ano e meio entrava em vigor o novo Estatuto Profissional da PSP. Foi um documento cuja negociação levou a grandes momentos de luta, dos mais significativos da história da nossa democracia no que respeita a forças de segurança, em termos de dimensão. Aquando da aprovação do diploma, que sempre dissemos não ser perfeito mas o possível na altura, houve vozes que procuraram convencer os polícias de que todas as alterações seriam prejudiciais.

O tempo provou que a ASPP/PSP, e mais alguns sindicatos, tinham razão e o Estatuto, sendo cumprido, dá resposta a questões importantes. Mesmo aqueles que se apressaram a fazer o jogo de alguns interesses reconhecem-no agora, ao ponto de estarem a exigir ao Governo que cumpra o aprovado.

Tivessem estes ajudado a negociação com a mesma energia que agora demonstram e talvez não tivéssemos de lutar para que fosse cumprido. Mas agora é tempo de unir esforços pela salvaguarda dos direitos dos polícias. No dia 28 teremos todos, sem exceção, de marcar presença em Lisboa para demonstrar ao governo que não aceitamos continuar a ser desvalorizados na nossa condição, pondo em causa a qualidade da segurança do país.

 

 Paulo Rodrigues, Presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia